Pular para o conteúdo principal

Uma necessidade para o evangelismo


É indiscutível o fato da apologética se tornar cada vez mais necessária para a proclamação da Palavra de Deus. Apologética não consiste apenas em defender a fé cristã, mas também em anunciá-la ou servir como um instrumento indispensável para esta anunciação. A apologética sem o evangelismo é praticamente vã e o evangelismo sem a apologética se torna cada vez mais ineficaz.
A simples defesa do cristianismo é inútil quando não temos posteriormente a essencial proclamação da Palavra. A defesa é útil para a proclamação e deve estar intimamente relacionada a esta última. É preciso entender o quanto à apologética é útil, mas também o quanto ela pode se tornar inútil quando não utilizada de forma correta.
O apologista cristão Francis A. Schaeffer dizia que o homem moderno, quase em sua totalidade, está tomado pelo relativismo. O pensamento moderno mudou drasticamente o homem e para tanto se torna imprescindível que as formas de evangelismo também sofram intensas mutações. Uma destas mutações é aliar-se forçosamente a apologética.
O relativismo a que Schaeffer se referia pode ser verificado na prática. Estou evangelizando uma jovem de 21 anos, ela diz que todas as coisas etéreas que formam o homem, tais como moral e sentimentos, tem fundamentação orgânica.
Este pensamento conduz necessariamente ao relativismo, pois reduz a moral a um mero mecanismo orgânico (como um hormônio, por exemplo), e pensando assim existe uma relativização do certo e do errado. O homem é reduzido a um ser impessoal e suas atitudes não são essencialmente certas ou erradas, mas indicam sua necessidade de sobrevivência. Como na selva os animais lutam pelo seu espaço (e não precisam se culpar se matam um ao outro para conquistar seus objetivos), os homens também não precisam se culpar se passam por cima do seu próximo – isso é inclusive necessário para a manutenção da raça humana.
A minha pergunta é a seguinte: como é possível simplesmente evangelizar uma pessoa assim? O evangelismo puro e simples neste caso não surtirá muito efeito, pois a mente desta jovem está tomada pelo relativismo. Se ela não diferencia o certo e o errado, simplesmente dizer a ela que Cristo morreu em seu lugar se torna algo incompleto e ineficaz. Aqui nasce a apologética, enquanto uma ferramenta eficaz para o evangelismo.
No caso desta jovem, preciso prová-la que somos munidos sim de uma moral, que está longe de ser um mecanismo puramente orgânico, e para tanto necessito da apologética. Preciso defender racionalmente minha fé e mostrá-la como seu pensamento está baseado na irracionalidade. A partir daí será possível evangelizar, sem estar falando ao vento.
Insisto novamente que a apologética é importante, mas que deve ser seguida do evangelismo, ou tudo volta à estaca zero. A apologética deve fazer parte do processo evangelístico, e precisa contar para tanto com o essencial auxílio do Espírito Santo.
É imprescindível preparar a nova geração para evangelizar utilizando-se da apologética. A cada evolução da ciência, a cada nova filosofia, o homem se afasta mais da realidade da Palavra de Deus. A ciência vai se multiplicando e a amor se esfriando. Cabe a nós, como cristãos, defender e comunicar o Evangelho transformador nos adaptando as inevitáveis transformações do mundo.
Prof. Paulo Cristiano da Silva

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Temas para Missões

Temas de Missões:

“... a fim de que todos os povos da terra conheçam o teu nome...” 
II Cr 6.33


“Portanto, meus amados, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.” 
I Co 15. 58


“Antes santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós”. 
I Pe 3. 15


“...para que todos os reinos da terra saibam que só tu és o Senhor.” 
Is 37.20


“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.”
 I Pe 2. 9


“...orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja glorificada...” II Ts 3.1


“O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos”
Isaías 61:1

“Ó terra, t…

ESBOÇO DE MENSAGEM CULTO DE AÇÃO DE GRAÇAS – FORMANDOS EM ENGENHARIA CIVIL

Texto: I Cr 28.20 “Disse Davi a Salomão, seu filho: Sê forte e, corajosamente, (esforça-te e tem de bom animo) mete mãos à obra! Não temas nada e não te amedrontes; pois o Senhor Deus, meu Deus, estará contigo; ele não te desamparará, nem te abandonará até que tenhas acabado tudo o que se deve fazer para o serviço do templo.”
Personagem central: Salomão (O Homem mais sábio que já existiu nos tempos bíblicos – Autor de 3 mil provérbios e mil e cinco cânticos)
Desafio: Construir – Executar – Edificar Grande Templo o Palácio que o seu pai Davi tinha arquitetado por Deus
“A NOSSA VIDA É CONSTRUÍDA ATRAVÉS DE NOSSAS ESCOLHAS. CADA ESCOLHA QUE FAZEMOS RESULTARÁ EM CONSEQUÊNCIAS BOAS OU RUIM”
Três aspectos básicos para construção da nossa vida que resultará em consequências boas: - Fundação - Elemento Estrutural vertical Pilares ou Colunas - Cobertura ou Telhado
1-CONFIAR NO SENHOR: “Confia ao Senhor a tua sorte, espera nele, e ele agirá.” (Sl 36.5) ou (Sl 37.5)
2-HUMILDADE:
“Vindo o orgulho(ou so…

Esboço de Sermão: Josué - Vencendo os Desafios da Vida

TEMA: Josué - Vencendo os Desafios da Vida


TEXTO: E chamou Moisés a Josué, e lhe disse aos olhos de todo o Israel: Esforça-te e anima-te (seja corajoso), porque com este povo entrarás na terra que o Senhor jurou a teus pais lhes dar; e tu os farás herdá-la. O Senhor pois é aquele que vai diante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará. Não temas, nem te espantes. Dt 31. 7,8.
INTRODUÇÃO: O livro de Deuteronômio é o livro dos registros das Leis do Senhor de forma resumida, contido no Pentateuco  Judaico, que  significa ensino e instrução, cuja a autoria desta obra é concedido a Moisés. Nos últimos capítulos de Deuteronômio, está registrado evidentemente as últimas instruções de Deus ao Seu povo (Israel – propriedade peculiar do Senhor), antes de possuírem a terra prometida,  e aqui no capítulo 31, analisamos de forma clara e objetiva o Grande Desafio que o Senhor concede a Josué filho de Num, o sucessor de Moisés. Moisés estava no final de sua carreira, aguardando sua par…