Pular para o conteúdo principal

MDA - Modelo de Discipulado Apostólico


"NÃO COMUNIQUEIS COM AS OBRAS DAS TREVAS, MAS CONDENAI-AS". Efésios 5:3-12

Alguns assembleianos (assembleianos?) ficaram irritados comigo, recentemente, quando afirmei, ao responder a uma pergunta, que o MDA (Modelo de Discipulado Apostólico) é muito parecido com o G-12 e o M-12 (MIR). Mas não há nenhum exagero nessa afirmação! Se eu disser, por exemplo, que doberman, pitbull e pastor alemão são nomes de raças caninas diferentes, estarei mentindo? E, se eu afirmar que Ford, Fiat e VolksWagen são marcas de carros que possuem motor, quatro rodas, bancos etc., estarei faltando com a verdade?
O mesmo se aplica a G-12 (criado pelo colombiano Cesar Castellanos, em 1983), M-12 (iniciado por Renê Terra Nova em 2005, quando este se desligou oficialmente da “cobertura” de Castellanos, mas deu continuidade ao seu modelo) e MDA, criado por Abe Huber, em 1999, quando, supostamente, “Deus lhe revelou de uma forma sobrenatural como funcionaria esse modelo”. Esses três modelos, na prática, têm a mesma essência e priorizam o crescimento numérico, apresentando às pessoas uma mensagem pragmática e utilitarista. Pregam o que as pessoas querem ouvir, e não o que elas precisam ouvir. E empregam o mesmo “pacote herético”.
Aliás, o próprio líder do MDA — modelo que é o irmão mais novo do G-12 — declarou: “Estudando os diferentes modelos de igreja em células, observando-os de perto e gastando tempo com os líderes envolvidos em sua prática, encontramos vários bons modelos, como o […] ‘Modelo do Governo dos 12’, do pastor Cesar Castellanos, da Colômbia. Todos eles são bons e funcionáveis nos contextos em que são aplicados, para aqueles que seguem seus princípios. Contudo, acreditávamos que Deus tinha algo específico para nós, com as nossas cores e nossa cara, capaz de florescer nos mais diferentes ambientes em que houvesse receptividade para o seu desabrochar. Queríamos algo adaptável, prático, descomplicado” (HUBER, Abe. A importância da igreja local na visão do MDA, publicado por Josué Vasconcelos no site Scribd [este artigo também está disponível em vários outros sites]).
Note: a despeito de o G-12 não ter a “cara do Brasil”, ele foi elogiado e chamado de bom modelo pelo líder do MDA. Nenhuma referência crítica foi feita ao “pacote herético” do gedozismo. Por quê? Porque no MDA também existem os famosos “pré-encontros”, “encontros” e “pós-encontros”, a “escada do sucesso”, formada pelos degraus ganhar, consolidar, edificar, treinar e enviar etc. Nos três modelos, ainda, são empregados “decretos” para obtenção de salvação, prosperidade etc. Exemplos: “Eu decreto que o Paraná é do Senhor Jesus”, “Eu decreto a sua prosperidade”, “Vai decretando a salvação da sua família”.
Portanto, prezado leitor, qualquer semelhança não é mera coincidência! E o que precisamos, mesmo, para que haja um reavivamento, é priorizar a Palavra de Deus. Os crentes devem ser incentivados a frequentar a Escola Bíblica Dominical e a participar dos cultos de ensino das Escrituras. As grandes igrejas devem promover escolas bíblicas anuais, incentivando o povo do Senhor a ter a Bíblia como a sua regra de fé, de prática e de viver. Chega de show! Sabemos que a música é importante; até Jesus cantou um hino! Não nos esqueçamos, porém, de que dois terços do seu ministério foi dedicado ao ensino da Palavra! Que Deus nos guarde, a fim de que permaneçamos no verdadeiro Evangelho (1 Co 15.1,2) e não nos apartemos da “simplicidade que há em Cristo” (2 Co 11.3).
Por Ciro Sanches Zibordi

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Temas para Missões

Temas de Missões:

“... a fim de que todos os povos da terra conheçam o teu nome...” 
II Cr 6.33


“Portanto, meus amados, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.” 
I Co 15. 58


“Antes santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós”. 
I Pe 3. 15


“...para que todos os reinos da terra saibam que só tu és o Senhor.” 
Is 37.20


“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.”
 I Pe 2. 9


“...orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja glorificada...” II Ts 3.1


“O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos”
Isaías 61:1

“Ó terra, t…

ESBOÇO DE MENSAGEM CULTO DE AÇÃO DE GRAÇAS – FORMANDOS EM ENGENHARIA CIVIL

Texto: I Cr 28.20 “Disse Davi a Salomão, seu filho: Sê forte e, corajosamente, (esforça-te e tem de bom animo) mete mãos à obra! Não temas nada e não te amedrontes; pois o Senhor Deus, meu Deus, estará contigo; ele não te desamparará, nem te abandonará até que tenhas acabado tudo o que se deve fazer para o serviço do templo.”
Personagem central: Salomão (O Homem mais sábio que já existiu nos tempos bíblicos – Autor de 3 mil provérbios e mil e cinco cânticos)
Desafio: Construir – Executar – Edificar Grande Templo o Palácio que o seu pai Davi tinha arquitetado por Deus
“A NOSSA VIDA É CONSTRUÍDA ATRAVÉS DE NOSSAS ESCOLHAS. CADA ESCOLHA QUE FAZEMOS RESULTARÁ EM CONSEQUÊNCIAS BOAS OU RUIM”
Três aspectos básicos para construção da nossa vida que resultará em consequências boas: - Fundação - Elemento Estrutural vertical Pilares ou Colunas - Cobertura ou Telhado
1-CONFIAR NO SENHOR: “Confia ao Senhor a tua sorte, espera nele, e ele agirá.” (Sl 36.5) ou (Sl 37.5)
2-HUMILDADE:
“Vindo o orgulho(ou so…

Esboço de Sermão: Josué - Vencendo os Desafios da Vida

TEMA: Josué - Vencendo os Desafios da Vida


TEXTO: E chamou Moisés a Josué, e lhe disse aos olhos de todo o Israel: Esforça-te e anima-te (seja corajoso), porque com este povo entrarás na terra que o Senhor jurou a teus pais lhes dar; e tu os farás herdá-la. O Senhor pois é aquele que vai diante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará. Não temas, nem te espantes. Dt 31. 7,8.
INTRODUÇÃO: O livro de Deuteronômio é o livro dos registros das Leis do Senhor de forma resumida, contido no Pentateuco  Judaico, que  significa ensino e instrução, cuja a autoria desta obra é concedido a Moisés. Nos últimos capítulos de Deuteronômio, está registrado evidentemente as últimas instruções de Deus ao Seu povo (Israel – propriedade peculiar do Senhor), antes de possuírem a terra prometida,  e aqui no capítulo 31, analisamos de forma clara e objetiva o Grande Desafio que o Senhor concede a Josué filho de Num, o sucessor de Moisés. Moisés estava no final de sua carreira, aguardando sua par…