Por que vir à Igreja?



Por que vir à Igreja? Aqui há 21 razões

“Alegrei-me quando me disseram: Vamos á casa do SENHOR” (Sl 122.1 – ACF)
“Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios” (Sl 84.10 – ACF)

POR CAUSA DA SALVAÇÃO
 – Antes de sermos salvos andávamos “segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar” (Efés 2:2), gozando de tudo o que há no mundo: “a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida” (I João 2:16). Agradar a Deus nos era impossível (Rom 8:8) e, mesmo que o fosse, não era o nosso desejo agradá-lo (João 5:40).  A igreja verdadeira é o último lugar onde o pecador quer se achar, porque lá se prega a Palavra de Deus que é, para o homem, loucura (I Cor 1:23). O homem natural apenas participa da religião para ter o seu orgulho engrandecido como os fariseus (Luc 18:11,12). MAS, depois da salvação, regenerado, ele passa a ter uma nova natureza (II Cor 5:17) que se renova para o conhecimento segundo a imagem daquele que o criou (Col. 3:10). O desejo desse novo Cristão, assim como o dos mais antigos da Bíblia é: “quanto mais conhecimento da Palavra de Deus e de Cristo, melhor!” Vamos já à igreja! Com a nova natureza a igreja tornou-se sinônimo de benção.Em contrapartida, a velha vida entre os amigos do mundo tornou-se antônimo de benção (Sal 84:10). Se você não tiver o desejo de ir à igreja do Deus vivo para crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo (II Pedro 3:18), há um problema sério e espiritual na sua alma. Talvez você necessite da obra graciosa efetuada pela salvação. Se esta for a tua necessidade, saiba que Deus manda o pecador a se arrepender dos seus pecados e crer em Cristo Jesus, o único salvador dos pecadores (I Pedro 3:18). Se você já tem o desejo de congregar com o povo de Deus e crescer na graça e no conhecimento de Cristo, então, venha cumprir o desejo do teu coração junto a pessoas que professem a mesma fé e ordem. Faça isso, venha à igreja!

POR QUE DEUS MANDA OS SEUS IREM À IGREJA
 – Os salvos têm uma marca distintiva: obediência. Sim, a salvação se prova pela obediência (I João 2:3-5). Os que amam o Senhor, devem guardar os seus mandamentos (João 14:15; 15:14). Quem é ovelha de Jesus ouve a voz do seu pastor e O segue (João 10:27). A salvação faz que o crente tenha algumas características distintivas e quem as tem andam em “novidade de vida” (Rom 6:4). Os que se tornaram novas criaturas estão se conformando à imagem de Cristo (Rom 8:29).Lembremo-nos que Cristo foi obediente em tudo (João 17:4; Fil. 2:8). Aqueles que estão se conformando à sua imagem, são mais e mais obedientes. (Prov. 4:18). Deus manda por princípio (Heb 10:25) e por exemplo (João 20:19,26) que os seus não deixem a sua congregação. Esses mandamentos por princípio e pelos bons exemplos de Cristo são boas razões para que aqueles que querem agradar a Deus venham à igreja. De outra maneira, a pergunta é: “Por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo?” (Luc 6:46).

PARA PARTICIPAR EM ADORAÇÃO PÚBLICA
 – Os que são salvos têm a distinção de gostar de estar aonde o Senhor determinou a Sua adoração (Sal 84:1-10). A igreja é justamente aquele lugar que Deus instituiu para publicamente ajuntar os Seus em Teu nome para O adorar.  Por ser o Seu corpo (Efés 1:23; Col 1:18) a igreja é visível, pública, presente não em figura mas em verdade.  Se Deus revela Seu corpo pela igreja, os que estão em Cristo estarão nela para O adorar (João 10:27, “As minhas ovelhas ouvem a minha voz e elas me seguem”).  Indo à igreja é uma oportunidade especial para o povo de Deus.  É tempo para pausar e refletir no que é eterno e celestial.  É uma oportunidade sem igual de alimentar a alma e refrescar o ânimo espiritual pela comunhão da Palavra de Deus (Sal 19:7-11). Talvez por essas razões Davi cantou que entrar no templo era uma ação tão abençoada (Sal 122:1).  A adoração pública é uma forte testemunha diante dos que estão fora. Quando alguém deixa as conveniências do lar e da vida para participar no que glorifica o Senhor Deus, as suas prioridades estão manifestas publicamente.  Cristo falou aos discípulos que o Espírito Santo faria eles testemunhas (Atos 1:8).  De certo, indo à igreja para participar em adoração pública faz que testemunhemos da diferença que a salvação efetuou em nós.  Devemos entender que os cultos na igreja são para adoração pública e nada mais.  É lugar de cantar louvores espirituais e reverentes (Col 3:16), ouvir a Palavra pregada (Atos 2), observar as ordenanças (Mat. 28:19-20), trazer as nossas ofertas (I Cor 16:1,2) e de orar juntos com o Teu povo.  Não é lugar do comércio religioso (Mat. 21:13), das brincadeiras ou dos trabalhos sociais (Habacuque 2:20).  Deus quer ser adorado em espírito e em verdade e nada é mais lógico do que O adorar no lugar dedicado pelo Teu Espírito (Atos 2) e onde Deus, pelo Espírito Santo, ministra a Palavra de Deus (João 15:26).  Adorar Deus publicamente como Ele quer, é uma boa razão vir à igreja.

SEGUIR O EXEMPLO DE CRISTO
 – Cristo tinha o costume de ir a sinagoga (Luc 4:16) e Ele é o nosso exemplo (I Ped 2:21; Hebreus 12:1,2). Sem dúvida Cristo foi à sinagoga para cumprir a Lei de Moisés. Se a justiça de Deus pela Lei de Moisés ensinava o Seu povo a O adorar publicamente no lugar que Deus tinha estabelecido, será que os de Deus hoje, que conhecem a Sua graça por Jesus Cristo, devem fazer menos?  Os discípulos não estavam sob a lei e eles reuniram se no primeiro dia da semana e isso depois que Cristo ressuscitou(Mat. 28:1,18-20; João 20:19, 26; Atos 20:7; I Cor 16:2).  O apóstolo João chamou este dia, “o dia do Senhor’ (Apoc. 1:10) como uma identificação especial entre os outros dias, sendo este o dia em que Jesus ressuscitou e em qual Ele reuniu com Seus discípulos (Gill).  Se  não havia outra razão de vir a igreja no primeiro dia da semana senão a razão de seguir o exemplo de Cristo na primeira igreja primitiva, temos razão suficiente de reunirmos.  Cultuar o Senhor Deus na assembléia dos santos como o exemplo que Cristo nos deu é boa razão virmos a igreja.

OUVIR A PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS
 – A instrução para o Filho de Deus é “desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que  por ele vades crescendo” (I Ped 2:2). O Cristão não está sozinho na sua busca deste leite racional pois Deus colocou na igreja pastores e doutores (professores) justamente para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo, para que os membros não sejam mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente (Efés 4:11-14). Aquele que vai à igreja para ouvir a Palavra de Deus está obedecendo a Deus para seu próprio crescimento espiritual. Tendo Deus colocado Seus homens na igrejapara apascentar o rebanho (Atos 20:28), os que arrebanham receberão o cuidado e a alimentação que Deus particularmente preparou para eles por Seus servos.  Deve ser uma benção maravilhosa comer da Palavra que Deus preparou exatamente para suprir o que cada ovelha necessita no Seu aprisco (igreja). Aproveite constantemente desta benção vindo à igreja!

PARA TER APERFEIÇOAMENTO ESPIRITUAL PESSOAL
 – A instituição eclesiástica, que tem como fundador o Senhor Jesus Cristo, tem o propósito de aperfeiçoar os santos (Efés 4:12,13).  Este aperfeiçoamento não é físico, financeiro, emocional, psicológico ou profissional mas espiritual, santo e celestial pelo ensino doutrinário (Efés 4:13; João 17:17; 18:36). Pela instrução da Palavra de Deus o crente é feito perfeito e é perfeitamente instruído para toda a boa obra (II Tim 3:17). Só pode ser aprovado a Deus aquele que maneja bem a palavra da verdade (II Tim 2:15).  É a igreja que foi instituída justamente para ensinar essa Palavra (“sobre esta pedra”, Mat. 16:18; “que pregues a palavra”, II Tim 4:2).  A pessoa que participa sempre na sua igreja que maneja bem a palavra é edificada e aperfeiçoada espiritualmente e assim preparada para toda a boa obra.  Não é essa uma boa razão para vir a igreja?

PARA SER UM EXEMPLO AOS OUTROS
 – Mat. 5:13-16.  O desejo eterno de Deus é ser glorificado em tudo (Isa 42:8; Rom 11:36). Não deve ser surpresa que na salvação o crente torna ser representado como aquele que preserva (“o sal da terra”), ilumina (“a luz do mundo”) e que é impossível esconder (“uma cidade edificada sobre um monte”). O propósito dessa testemunha pública é para que os homens “vejam as vossas boas obras e glorificam a vosso Pai, que está nos céus” (Mat. 5:13-16).  Pouco antes de Cristo voltar fisicamente para o céu Ele prometeu o Espírito Santo aos Seus. Pela virtude do Espírito os seus discípulos seriam testemunhas (Atos 1:8).  Serão testemunhas dEle!  Esta testemunha é conseguida pela nossa obediência à Palavra de Deus.  É fato: vindo à igreja somos testemunhas públicas. O mundo precisa de tal prova. O coração natural do homem não busca Deus, mas pelo bom exemplo da nossa vida pregamos Cristo ao ponto que a testemunha que somos julga os rebeldes no último dia (I Ped 4:3-7).  A nossa vinda à igreja prega!.  Se outras atividades tiverem preeminência sobre a freqüência na igreja, o que é que estaremos dizendo da importância da obediência pública da Palavra de Deus?  Também, se andemos com os que amam a igreja, o nosso próprio andar e testemunha serão afetadas (Prov. 13:20).  Quando consideremos que o que fazemos no corpo prega o que cremos no coração e todo aquele que dizer pela boca (Mat. 7:21-27),temos bons motivos para virmos à igreja.

PARA TER CONFRATERNIDADE COM CRISTO
 – Sendo que Cristo é o cabeça da Sua igreja (Efés 5:23; Col 1:18) nada é mais lógico que o cabeça esteja junto com o seu próprio corpo.  Vindo à igreja é mais do que ir a um clube cristão ou participar em um programa virtuoso.  O próprio Cristo realmente anda no meio das Suas igrejas (Apoc 1:12-16). Pela frequência obediente em amor na igreja, o membro pode ter uma confraternidade maior com o próprio Cristo.  Pela obra obediente dos irmãos na igreja, Deus recebe a glória por Cristo que Ele almeja (Efés 3:21). Quando amamos o lugar aonde permanece a tua glória estamos identificados com o povo que agradava Deus no passado (Sal 26:8; 84:10; 122:1) e que O agradará no futuro (Apoc 5:12).  A promessa de Cristo é estar no meio de dois ou três que estejam reunidos no Seu nome (Mat. 18:20).  Pode pensar em outro lugar mais abençoado para gastar suas horas do que aquele lugar onde tem confraternidade com o próprio Cristo?  Tal união fraterna é uma boa razão de vir à igreja.

PARA TER UM DIA DIFERENTE DOS DEMAIS
 – a Lei de Moisés representa os desejos eternos do Deus divino.  O espírito da Lei representa os princípios eternos divinos.  Desde a criação do mundo Deus deseja ser glorificado pela Sua criação.  O homem tornou-se pecador e, para facilitar que o homem encarasse a impiedade do seu pecado, a Lei foi dada (Rom 5:20, “Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse”; 7:13, “a fim de que pelo mandamento o pecado se fizesse excessivamente maligno.”). É estipulada, pela Lei de Moisés, um dia exclusivamente “do SENHOR” (Êxodo 20:8-11).  Para deleitar-se no Senhor, na Lei, aquele que desejava dar glória ao SENHOR pela obediência, deveria abster de tudo que era comum neste dia especial (Isaías 58:13,14).  O homem é tão cheio de si e preocupado em seus próprios fazeres que se não tivesse um dia estipulado para ser diferente, ele si mataria “gozando” da sua vida vã.  Quando o crente diferencia um dia especialmente para o SENHOR ele faz bem para seu corpo, sua mente e para todos os aspectos da sua vida.  Ele também dá glória ao SENHOR.  Será que tudo isso é somente coincidência?  Hoje, o Cristão não está mais sob a lei, mas é responsável para observar os eternos princípios do espírito da Lei de Deus em Cristo (Rom 7:6, “para que sirvamos em novidade de espírito”).  Quando Cristo ressuscitou, Ele, Quem é maior do que a Lei, estipulou, pelo Seu exemplo, um novo dia para ajuntar e adorar o SENHOR publicamente – O Primeiro Dia da Semana.  Neste dia foi consagrado pela prática dos que O seguiam (João 20:19;26; Atos 20:7; I Cor 16:2).  Se olharmos bem a nossa vida, precisamos mesmo deste dia diferente que Deus deseja termos.  Participando em todos os cultos da igreja fazemo-nos este dia diferente.  Participando em todos os cultos da igreja conhecemos as bênçãos à nossa vida que podem ser proporcionadas por Cristo.  É muito para glorificar o SENHOR e para fazer bem ao nosso corpo, a nossa mente e vida?  De fato, precisamos deste dia diferente dos demais, e Deus é glorificado por tal obediência.  Para ter um dia gloriosamente diferente dos demais é uma boa razão para virmos a igreja.

PARA CONSIDERAR E ESTIMULAR OS OUTROS
 – Por estarmos em Cristo, temos uma vida nova que zela para a glória de Deus.  Temos privilégios novos para com Deus também.  Um destes privilégios é poder chegar confiante na presença do Senhor durante a nossa vida aqui na terra (Heb 10:19-22). Um outro privilégio e responsabilidade é considerar e estimular os outros crentes a participarem mais e mais “ao amor e às boas obras” (Heb 10:24,25).  A palavra ‘considerar’ significa: perceber, comentar, observar ou entender.  Essa palavra carrega com ela o sentido de observar atentamente com os olhos ou a mente fixada em algo (Strong’s, – 2657). A palavra ‘estimular’ significa: incitar, até a possibilidade de ser uma irritação (Strong’s – 3948). A intenção de considerar e estimular os outros é de produzir o bem e o útil (Prov 27:17).  Varias vezes isso acontece pela Bíblia (o Senhor a Josué – Josué 1:1-8; Paulo à igreja – I Tess 3:3; Tito aos irmãos – Tito 3:1,2; Tiago aos irmãos – Tiago 1:2; Pedro aos irmãos – I Ped 4:12,13) e deve acontecer entre os irmãos ainda hoje também.  Cada um de nós precisa de um estímulo pelos que olham em amor por nós.  O lugar apropriado para considerar e estimular um ao outro é “a nossa congregação” – juntos na igreja.  Se você quer que a sua vida esteja estimulada para o bem, e se quer ajudar um outro a ter uma vida mais frutífera, você tem uma boa razão para vir participar nos cultos da igreja.

PORQUE A IGREJA É A ÚNICA ORGANIZAÇÃO INSTITUÍDA COM O PROPÓSITO ESPECÍFICO DE DAR A DEUS TODA A GLÓRIA
 – Tudo na vida (O Lar, o governo, o comércio, a escola, etc.) tem a sua preocupação.  O propósito primordial da igreja é a glória a Deus por Cristo (Efés. 3:14-21, v. 21, “a esse glória na igreja”).  Essa organização é única.  Ela não pode ser substituída por uma organização boa, por um homem ‘santo’ ou por uma atividade cristã qualquer.  Deus recebe a glória desejada em Cristo pela igreja de uma maneira especial e diferenciada das outras atividades gloriosas dEle.  A igreja que Cristo instituiu não é uma denominação, uma religião, uma fraternidade, um clube cristão, um acampamento ou uma programação na TV. A igreja é o ajuntamento bíblico dos teus eleitos que são separados biblicamente em um local específico para obedecerem a Palavra de Deus publicamente.  Por ser um ajuntamento de pessoas é uma organização local e visível.  Importa a Deus que a obediência a Ele seja feita somente conforme o Seu mandar (Isa 8:20). Qualquer outra maneira é imprudência (II Sam 6:1-9).  Quando participamos em obediência fiel “na igreja” estamos submetendo-nos à maneira, à doutrina e à pratica que Deus estabeleceu, instituiu, designou, organizou e autorizou.  Pela a igreja ser mantida pelo poder divino, ela está continuando para a Sua glória ainda hoje (Mat. 16:18, “as portas do inferno não prevalecerão contra ela”).  Ser parte ativa dessa organização é uma boa razão para o Cristão vir a igreja!

PORQUE A IGREJA É A ÚNICA ORGANIZAÇÃO ETERNA NA TERRA
 – Existem outras instituições na terra além da igreja (lar, governo, escola). Porém, não existem outras organizações terrenas que vão existir no céu como o ajuntamento verdadeiro.  A igreja é uma instituição que começou na mente de Deus, veio à terra por Cristo e as portas do inferno não prevalecerão contra ela (Mat. 16:18).  Cristo voltará para seu povo e para sempre estará com o ajuntamento dele no céu (I Tess 4:17; Hebreus 12:22,23).  A igreja funciona conforme o eterno propósito que Deus fez em Cristo Jesus para que Ele tenha toda a glória em todas as gerações para todo o sempre (Efés. 3:10,11,21; Heb 3:4).  Essa organização divina opera com ordem e planejamento.  A igreja dEle não foi um acidente mas foi programada e planejada a ter características distintas, a declarar uma mensagem única e a praticar ordenanças específicas.  Tudo o que Jesus ordenou na igreja deve ser administrado com exatidão para redundar para a Sua eterna glória.  O passado da igreja é Cristo; o presente dela é pela Sua graça e o seu futuro é glorioso, pois estará com Cristo para sempre (Efés. 5:25-27).  Os que participam biblicamente nesse ajuntamento que Cristo instituiu participam de uma instituição gloriosa.  Servindo e adorando a Deus pela igreja guardamos galardões eternos para gozarmos para sempre no céu. Não há outra instituição eterna igual a essa na terra.  Pela igreja ser uma organização eterna temos hoje razões gloriosas para vir a igreja!

PORQUE A IGREJA É A MAIS ALTA INSTITUIÇÃO COM O MAIOR CONHECIMENTO NO UNIVERSO
 – Efés. 3:8mostra a superioridade do Evangelho.  A natureza do Evangelho que pregamos é: as riquezas incompreensíveis de Cristo.  Efés. 3:9estipula que a mensagem de Cristo é “a dispensação do mistério”. Ainda em Efés. 3:10 é revelado o que é ensinado pelo Evangelho: a multiforme sabedoria de Deus. Não existe outro lugar no mundo onde tais assuntos estão honestamente tratados senão na igreja. A igreja tem os ofícios equipados particularmente para tratar desta mensagem da multiforme sabedoria de Deus (Efés 4:11-12).  A multiforme sabedoria de Deus é a coleção total das variedades de todo o conhecimento de Deus.  O Evangelho tem riquezas incompreensíveis (Efés. 3:8), quais são insondáveis, inescrutáveis, profundas (Rom. 11:33) e é segundo toda a vontade de Deus (Efés. 1:11).  Pelo ministério da Palavra de Deus pela igreja, essa multiforme sabedoria é conhecida ao mundo todo e aos principados e potestades nos céus (Efés. 3:10).  A multiforme sabedoria de Deus é resumida em uma pessoa: Jesus Cristo (Efés. 3:11).  É a igreja verdadeira que tem a comissão de ensinar tais assuntos.  Não é a responsabilidade de uma escola secular ou religiosa, uma creche ou uma organização cristã qualquer.  Pela igreja ser o lugar onde tal Evangelho é proclamado e ensinado, temos gloriosas razões para virmos a igreja.

PORQUE A IGREJA É O CORPO DE CRISTO
 –  Efés. 1:22,23. Cristo é o cabeça do Seu ajuntamento: a Sua igreja.  Sendo assim a igreja não é uma organização humana.  Há organizações fundadas pelos religiosos no mundo, mas a igreja verdadeira não é uma delas.  A sede da igreja não está em Roma ou Jerusalém ou outra cidade terrena.  A sede da igreja verdadeira está no céu.  A posição de cabeça não é vaga.  A posição suprema da igreja é preenchida com o Ser Eterno – Cristo.  Por ter Cristo como cabeça, a igreja tem tudo que precisa: “a plenitude dAquele que cumpre tudo em todos” (Efés 1:23). Na esfera da igreja não são necessárias invenções humanas para melhorar a propagação do Seu Evangelho; não são necessárias inspirações criativas para aperfeiçoar a sua administração; não é necessário algo proveniente da mente do homem para aprofundar a sua doutrina ou para emendar o seu ministério.  Cristo é suficiente para tudo que Ele instituiu (Col. 2:9, “Porque nEle habita corporalmente toda a plenitude da divindade;”).  No ajuntamento manifesta a sua “plenitude” como não é manifesta fora dele.  Para que o conhecimento tenha o espírito de sabedoria e de revelação; para que os olhos do entendimento tenham iluminação; para saber a esperança e as riquezas gloriosas da nossa posição em Cristo; para que saibamos a sobreexcelente grandeza do Seu poder sobre nós em Cristo, convém que estejamos no ajuntamento correto e que sejamos submissos a Cristo, o cabeça(Efés 1:17-23).  A nossa preparação para os cultos e o comportamento nosso na igreja deve ser um comportamento de reverência pois o ajuntamento é uma reunião espiritual e literal do corpo de Cristo.  Pela igreja ser o corpo de Cristo temos uma boa razão de vir ao Seu ajuntamento.

PARA EXTERIORIZAR A NOSSA FÉ
 – Por não ser crentes verdadeiros todos que dizem: “Senhor Senhor”, uma manifestação além do verbal é necessária para manifestar os falsos dos cristãos verdadeiros (Mat. 7:21-23).  É a obediência que faz essa manifestação (Mat. 7:21, “mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”). A fé sem as obras da obediência da Palavra de Deus é uma fé morta e é o que manifesta a diferença dos santos dos impuros (Tiago 2:17-19).  É fácil falar e expressar somente a nossa fé verbalmente.  Todavia, são somente os que conhecem Deus verdadeiramente que vão servir o Senhor em verdade continuamente até o fim apesar da perseguição (Apoc 2:26).  O mundo precisa de uma testemunha viva da fé Cristã (II Cor 4:3).  Uma das maneiras de ver a fé é através a obediência fiel do Cristão verdadeiro que inclui a ação de publicamente congregar-se no ajuntamento verdadeiro que Cristo instituiu.  Nessa maneira a fé verdadeira é exteriorizada diante do mundo para a glória de Deus (Mat. 5:13-16).  Tal testemunha pública é uma boa razão para virmos à igreja todas as vezes que temos a oportunidade.

PARA VER A MAJESTADE DE CRISTO
 – Cristo anda no meio das suas igrejas (Apoc. 1:10-17,20). Cristo é a justiça de Deus, a redenção do Seu povo, o amor de Deus revelado, a expressão do Seu julgamento, a imagem plena da divindade e a soberania de Deus encarnada (I Cor. 1:30; Col. 2:9). Não há ninguém soberanamente exaltado por Deus como Cristo (Fil. 2:7-11). Essa majestade anda no meio das Suas igrejas.  Onde o Seu povo se ajunta em conformidade aos Seus ensinamentos e ao Seu exemplo, Ele, pessoalmente, está no meio deles (Mat. 18:20; 28:20).  Existem outras organizações boas no mundo (organizações filantrópicas que ajudam os orfanatos, asilos dos velhos, crianças com defeitos, etc.), e, existem outras pessoas e ocupações necessárias em nossas vidas, mas, nenhuma compara à majestade de Cristo.  Por Cristo, na Sua glória, andar no meio das Suas igrejas, temos razões inumeráveis a virmos a igreja.  Venha para vê-Lo pela Palavra dEle no ajuntamento dEle!

PARA LEMBRAR DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO
 – Encontrar com Cristo depois da Sua ressurreição, no primeiro dia da semana, no ajuntamento, foi algo especial para os discípulos de Cristo.  Cristo ressurgiu no primeiro dia da semana (Mat. 28:1-8; Mar 2, 9; Luc. 24:1; João 20:1).  O Jesus ressurrecto, no primeiro dia da semana, no mesmo dia em que Ele ressurgiu, ajuntou-se com os seus discípulos (Mat. 28:9,10; Mar 16:9,10; Luc. 24:9, 10, 33-45; João 20:9).  Foi um dia de Jesus começar “por Moisés, e por todos os profetas” explicar-lhes o que dEle se achava em todas as Escrituras (Luc. 24:27,44).  Foi um dia em que os olhos de entendimento dos discípulos foram abertos (Luc. 24:31, 45; João 20:20).  Foi um dia em qual Cristo pregou paz aos ajuntados (Luc. 24:36; João 20:19).  Foi um dia de repreensão (João 20:27-29).  Foi um dia em que a igreja foi comissionada (Mat. 28:18-20; Mar 16:15; Luc. 24:46-47; João 20:21).  Foi um dia de instrução de coisas futuras (Luc. 24:49).  Foi um dia para os discípulos serem abençoados por Jesus (Luc. 24:50; João 20:21-23) e um dia de grande júbilo para os discípulos (Luc. 24:52).  Depois destes exemplos de Jesus com Seus discípulos, a Bíblia mostra o povo de Deus ajuntando-se no primeiro dia da semana para ouvir da pregação de Cristo por Seus ministros (Atos 20:7),fazer o trabalho de amor pela igreja (I Cor. 16:1,2) e receber do Senhor a Sua mensagem (Apoc. 1:10, “no dia do Senhor”).  Quando nós reunimos no primeiro dia da semana, seguimos o exemplo de Cristo e o exemplo bíblico dos Seus discípulos.  Foi a ressurreição de Cristo que deu início de tantas bênçãos no primeiro dia da semana.  Quando ajuntarmos nesse dia, celebramos a Sua vitória sobre o pecado, a morte e o diabo.  Todo Domingo celebramos a Sua Vitória.  Está vendo?  Temos razões gloriosas para reunirmos com júbilo todo Domingo junto com os Seus discípulos.

POR CAUSA DO TEMOR MERECIDO AO SENHOR
 – O serviço ao SENHOR é estipulado pelo próprio Deus.  Ele instituiu o Seu tipo de igreja para a Sua glória (Mat. 16:18; Romanos 11:36; Apoc 4:11).  Por ser serviço ao SENHOR Deus, os Seus servos devem servi-lo com temor saudável (Sal. 2:11).  Por não servir ao Senhor na Sua casa com temor, os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, foram consumidos pelo fogo (Lev 10:1-3).  Por não obedecerem ao SENHOR nos sacrifícios, os filhos de Eli, Hofni e Finéias, foram mortos em um único dia (I Sam 2:12-17; 4:11).  Por não temer corretamente o SENHOR na sua adoração, Uzá, acendeu contra si, a ira do SENHOR e foi morto (I Cron. 13:8-10).  Por Ananias e Safira mentirem diante do servo do SENHOR, na casa de Deus, foram mortos por Deus(Atos 5:1-10).  Houve muitos fracos e doentes em Corinto, e até alguns morreram, por não levarem a sério as ordenanças da igreja (I Cor. 11:29,30).  Vir a igreja e servir ao SENHOR em temor é um dever abençoado do servo do SENHOR.  Por ser do SENHOR Deus a igreja, o servo deve servir em obediência específica de um coração reto e temente a Deus que ordenou tal serviço para a Sua glória.  O temor de Deus é uma boa razão para vir a igreja servir ao SENHOR.

POR CAUSA DO ALICERCE DELA
 – Mat. 16:18.  Na primeira vez no Novo testamento que a palavra “igreja” foi usada, e na primeira das duas vezes que Jesus usou essa palavra, podemos achar uma boa razão para virmos a igreja. Os discípulos tinham confessados que Jesus era “o Cristo, o Filho do Deus Vivo” (Mat. 16:16). Cristo parabenizou os discípulos pela confissão correta e disse algo além que sobre tal verdade a Sua igreja é edificada. Isso quer dizer que o alicerce da igreja é a verdade que Cristo é o Messias, o verdadeiro Filho do Deus Vivo.  A igreja é composta de pessoas que fazem tal confissão de coração, ou seja, o alicerce da igreja é Cristo, a mensagem principal dos Apóstolos. A mensagem principal da igreja verdadeira é Cristo (Atos 20:21).  A pedra fundamental da igreja é Cristo (Efés. 2:20).  O cabeça da igreja é Cristo (Efés. 1:22).  A igreja é o corpo de Cristo (Efés. 2:23).  Ele deve estar em todos os membros da igreja e todos os membros da igreja devem ser nEle (Efés. 4:15,16).  O ajuntamento daqueles que confessam Cristo tem o seu começo com o próprio Cristo e os discípulos (Efés. 4:11; I Cor. 12:28). Neste ajuntamento verdadeiro Cristo está exaltado como Ele não está em outras ocasiões. Pela igreja verdadeira ser a congregação daqueles que são em Cristo, e por Ele alicerçar o seu ajuntamento, os verdadeiros Cristãos têm múltiplas razões para priorizarem o ajuntamento de Cristo. Por isso estamos aqui.

POR CAUSA DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL
 – Hb. 10.19-25. Existem ações que somente podem ser feitas se feitas juntos. O autor do livro de Hebreus menciona algumas dessas. Em versículo 22 o cristão, por causa da salvação por Cristo e por ser feito um sacerdote a Deus por Cristo (vs. 19-21), é exortado a exercitar essas posições junto aos irmãos. Em versículo 23 o cristão é incentivado a esforçar à prática da sua fé com os outros irmãos. Em versículo 24 o cristão é exortado a lembrar da condição dos irmãos na fé, que mesmo tendo posições em Cristo, também tenham fraquezas nas paixões da carne. Em versículo 25 o cristão é mandado a não ser displicentes com as suas responsabilidades de adoração publica. Também cada cristão deve prezar o ajuntamento pelo conforto, edificação, instrução, e deleite que tal congregação verdadeira fornece. Cada uma dessas exortações (vs. 19-25) só pode ser realizada se os cristãos são juntos na assembleia. É um ajuntamento com bênçãos sociais e mentais, mas especialmente espirituais dando-nos boas razões para virmos à congregação nossa.

PARA APRIMORAR A NOSSA OBEDIÊNCIA CRESCENTE
 – Lc. 16.10; Mt. 5.19. O cristão verdadeiro deleita-se na lei do Senhor (Rm. 7.22) e deseja mais e mais a crescer na aplicação da Palavra de Deus na sua vida diária (I Pe. 2.2). A desobediência mínima da Palavra de Deus impede esse crescimento – Lc. 16. 10, “Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.” Como temos estudado anteriormente, a frequência fiel na casa do Senhor é importante para atingirmos crescimento espiritual. Assim também se somos injustos nas coisas mínimas seremos injustos nas coisas de mais importância, como a frequência fiel  na igreja. Acontecerá que seremos impedidos a crescer na nossa obediência espiritual aqui na terra e isso causar-nos-á ser chamados o menor no Reino de Deus – Mt. 5.19, “Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.” Portanto, temos boas razões a sermos sempre presentes na casa do Senhor.

 “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus” (Ef 2.19 – ACF)

Pastor Calvin G Gardner

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Temas para Missões

Frases marcantes de: Oswald Smith

Esboço de Sermão: Josué - Vencendo os Desafios da Vida